Mudanças Hormonais - As fases da transição
Em torno da menopausa
As fases da transição_menospausa
 
O processo que encerra a fase reprodutiva feminina é lento e, para a maioria das mulheres, estressante. O desequilíbrio nos níveis de estrogênios em circulação no organismo feminino pode produzir sintomas desagradáveis até dez anos antes da última menstruação, mesmo de forma leve. Daí o termo cunhado pelos médicos para caracterizar esta fase de transição como perimenopausa (em torno da menopausa).O ritmo da oscilação dos níveis hormonais bem como a sensibilidade de cada mulher são os fatores responsáveis pela manifestação maior ou menor dos sintomas."O ovário feminino durante a transição para a menopausa é um órgão ainda não suficientemente estudado", lembra a médica canadense Jerelynn Prior, pesquisadora da divisão de endocrinologia da Universidade de Colúmbia Britânica (em Vancouver, Canadá). Prior analisou dezenas de pesquisas americanas feitas com milhares de mulheres entre 45 e 55 anos, nas duas últimas décadas e elaborou uma classificação da perimenopausa. Conhecer as fases da transição de Prior pode lhe ser útil para acompanhar o processo de mudança sem sobressaltos.
 
Primeira fase ou início do climatério
Os ciclos menstruais são regulares, mas passam a ser acompanhados sistematicamente por sintomas pré-menstruais, tais como aumento ou inchaço das mamas, retenção de água no corpo e alterações do humor. Os níveis do hormônio estradiol começam a oscilar, o que favorece o ganho de peso, dores de cabeça e enxaquecas bem como o fluxo menstrual anormalmente intenso, abundante. Muitas mulheres já observam o encurtamento do ciclo nesta fase e os primeiros suores diurnos e noturnos.
 
Segunda fase: ciclos com e sem ovulação
Os ciclos menstruais são regulares mas começam os distúrbios de funcionamento do ovário, observáveis pelo encurtamento do ciclo e a ocorrência maior de ciclos anovulatórios.Os episódios de fluxo intenso ou abundante podem se repetir, aumentam os sintomas pré-menstruais e a dismenorréia (dores ou cólicas menstruais) e os calores e suores podem assinalar, com frequência, a chegada do fluxo menstrual. Os níveis dos hormônios estimulantes de folículos, ou FSH, passam a ficar muito altos durante parte do ciclo, bem como os do estrogênio estradiol.
 
Terceira fase: irregularidades menstruais
Sinaliza a perimenopausa em si, cuja principal característica é a irregularidade dos ciclos.Eles se tornam imprevisíveis. Ora muito curtos ora muito longos. Os níveis de FSH estão em geral ligeiramente elevados nessa fase e o LH também pode aumentar ocasionalmente.Os níveis de estradiol estão altos mas podem ficar normais, às vezes, outras,muito baixos.Os sintomas como ondas de calor começam a ocorrer com maior frequência durante as horas de vigília, mas muitas mulheres podem não sentir sintomas. O inchaço nos seios e as variações no humor como irritação e nervosismo são comuns dessa fase, bem como a insônia e a sensação de cansaço e fadiga. Mas as mulheres que sentem os calores e suores noturnos conseguem, com freqüência, prever a chegada da menstruação em alguns ciclos, com base nesses sintomas.
 
Quarta fase: menorragia
A menstruação torna-se extremamente abundante, o que os médicos denominam de menorragia. A chance de ocorrer ovulação diminui para 50% ou menos e a oscilação dos níveis de estrogênio aumentam. Os altos e baixos de produção produzem suores e calores depois de longos períodos sem fluxo menstrual.Os níveis de progesterona, se produzidos, são anormais nessa fase e o fluxo mais abundante da menstruação pode já indicar a ausência da progesterona, além da anovulação. Os níveis de FSH são agora constantemente elevados e os de LH também estão maiores.
 
Quinta fase: confirmação da menopausa
É considerada a etapa final do processo de transição, que começa com a última menstruação. Tem duração mínima de um ano, espaço de tempo necessário para confirmar a menopausa. Mas pode ir além disso, dependendo de cada organismo. É uma época caracterizada pela intensidade crescente dos sintomas vasomotores de suores e calores, embora algumas mulheres que os experimentaram no início da perimenopausa, possam sentí-los indo embora, agora. Os sintomas pré-menstruais e as cólicas são menos freqüentes, embora ainda possam se manifestar inesperadamente, apesar da ausência do fluxo menstrual. Os níveis de FSH e LH estão altos e os níveis de estrogênio muito baixos.
 
Tabela dos principais sintomas
Índice da Menopausa, de Kupperman e Blatt - A primeira descrição sistemática dos sintomas da menopausa foi feita pelos médicos alemães H.S. Kupperman e M.H.G. Blatt, com base na observação clínica de pacientes. Divulgado em 1953, o "Índice da Menopausa" de Kupperman e Blatt, com seus 11 sintomas, passou a ser usado como referência pelos médicos ginecologistas para o diagnóstico do climatério. Em 1964, as médicas Bernice Neugarten e Ruth Kraines, acrescentaram mais alguns sintomas ao Índice, com base no estudo Menopausal symptoms in women of various ages.O Índice da Menopausa atribui pesos diferentes a cada sintoma, de acordo com sua intensidade. A classificação, que vai de leve e moderado a intenso, ajuda a identificar a aproximação da menopausa em mulheres bastante sintomáticas. São eles:
 
SINTOMAS LEVES MODERADOS INTENSOS
ONDAS DE CALOR
4 8 12
PARESTESIA 2 4 6
INSÔNIA 2 4 6
NERVOSISMO 2 4 6
DEPRESSÃO 1 2 3
FADIGA 1 2 3
ARTRALGIA/MIALGIA
1 2 3
CEFALÉIA 1 2 3
PALPITAÇÃO 1 2 3
ZUMBIDO NO OUVIDO 1 2 3
TOTAL 17 34 51
LEVES - ATÉ 19 / MODERADOS - DE 20 A 35 / INTENSOS - MAIS DE 35